HERCULES | LACOG 0218

Estudo clínico de câncer de pênis avançado sobre quimioterapia combinado com imunoterapia.

icone-estudo-lacog-hercules-situação-estudo

Situação do estudo
Recrutando

icone-estudo-lacog-hercules-abrangencia-estudo

Abrangência do estudo
5 estados brasileiros

icone-estudo-lacog-hercules-id-estudo

ID do estudo
NCT04224740

Grupo 14@2x

Conheça o estudo clínico

LACOG 0218 - HERCULES

Embora ainda não haja dados sobre os resultados no tratamento do câncer de pênis avançado/metastático, a imunoterapia se tornou o tratamento padrão para diversos tipos de cânceres, mostrando alta eficácia e bom perfil de segurança.

Para avaliar a eficácia da combinação da imunoterapia e quimioterapia como uma nova opção terapêutica para esta doença, o LACOG (Latin American Cooperative Oncology Group) está recrutando 33 pacientes diagnosticados com câncer de pênis avançado/metastático para participarem do estudo clínico HERCULES.

O Estudo HERCULES está investigando a eficácia da combinação de imunoterapia com quimioterapia como uma nova opção o tratamento do câncer de pênis em pacientes com a doença avançada.

icone-estudo-lacog-hercules-pacientes

PACIENTES

icone-estudo-lacog-hercules-tratamento

TRATAMENTO

icone-estudo-lacog-hercules-seguimento2

SEGUIMENTO

Se você foi diagnosticado com câncer de pênis em estágio avançado/metastático, converse com seu médico e avalie a possibilidade de participar do estudo HERCULES.

O Estudo HERCULES está aberto para participação de pacientes

nos centros de pesquisa nos seguintes locais do Brasil:

Investigadores do estudo

Este estudo está sendo coordenado pelo Dr. Fernando Cotait Maluf, chefe da Oncologia Clínica do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, e investigador do LACOG.

dr-fernando-cotait-maluf-estudo-hercules-lacog
luis-eduardo-w-de-carvalho-estudo-hercules-lacog

Luís Eduardo
W. de Carvalho

Investigador Principal
Clínica Oncológica do Brasil

joao-paulo-holanda-soares-estudo-hercules-lacog

João Paulo
Holanda Soares

Investigador Principal
Instituto do Câncer do Ceará

karine-trindade-estudo-hercules-lacog

Karine Trindade

Investigadora Principal
Oncocentro Ceará

patricia-medeiros-beato-estudo-hercules-lacog

Patrícia Medeiros Beato

Investigadora Principal
Hospital Amaral Carvalho

murilo-de-almeida-luz-estudo-hercules-lacog

Murilo de Almeida Luz

Investigador Principal
Oncologica Hospital Erasto Gaertner

daniel-d-almenida-preto-estudo-hercules-lacog

Daniel D’Almeida Preto

Investigador Principal
Hospital de Câncer de Barretos

Hercules_INCADr

Victor Marcondes Lopes dos Santos

Investigador Principal
INCA – Instituto Nacional de Câncer

CÂNCER DE PÊNIS - O QUE É, PRINCIPAIS CAUSAS, SINTOMAS E TRATAMENTOS

O câncer de pênis é um tumor raro, com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, embora possa atingir também os mais jovens.

No Brasil, esse tipo de tumor representa 2% de todos os tipos de câncer que atingem a população masculina, sendo mais frequente nas regiões Norte e Nordeste.¹

Quando comparado com outros países, o câncer de pênis possui maior incidência em países em desenvolvimento, como o Brasil.

A falta de conhecimento sobre prevenção acaba colocando a saúde dos homens em risco, e infelizmente dificultando o diagnóstico e tratamento do câncer de pênis.

Principais sinais e sintomas do câncer de pênis ²

– Alterações na pele: um dos primeiros sinais da doença que geralmente podem ser observadas na glande (cabeça) do pênis ou no prepúcio (pele que envolve a glande), podendo também podem surgir em todo o órgão. Essas alterações incluem:

  • Área de pele que muda de cor ou se torna mais espessa;
  • Nódulo no pênis; Ferida ou úlcera crônica, que sangra;
  • Protuberâncias avermelhadas e aveludadas;
  • Pequenos edemas (inchaços) sólidos;
  • Lesões de cor marrom-azulada;
  • Secreção branca persistente, muitas vezes com mau cheiro. 

Inchaço: ocorrendo na extremidade do pênis, principalmente quando o prepúcio é retraído;

– Nódulo (caroço) na região da virilha: em alguns casos é possível sentir os nódulos ao apalpá-los na região da virilha.

ilustração-medico-e-paciente-estudo-hercules-lacog

Fatores de risco para o desenvolvimento do câncer: ³

  • Tabagismo;

  • Infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV): o vírus é detectado em cerca de metade dos cânceres de pênis;

  • Não ter se submetido à cirurgia de fimose (remoção do prepúcio);

  • Comprometimento da higiene íntima;

  • Faixa etária: a idade média de diagnóstico é de 68 anos;

  • 80% dos casos são diagnosticados em homens com mais de 55 anos;

  • Ser portador do vírus HIV/AIDS.

Como prevenir o câncer de pênis

Medidas que auxiliam no controle do câncer de pênis envolvem a prevenção da contaminação pelo HPV (seja através da vacinação ou através do uso de preservativo), cuidado com higiene íntima e cirurgia de fimose.

O que fazer se você for diagnosticado com câncer de pênis

Quando o câncer de pênis é diagnosticado em estágio inicial, as chances de cura são elevadas. Porém, metade dos pacientes chega a demorar mais de um ano para procurar ajuda médica após os primeiros sinais aparecerem.

Caso note alguma alteração ou lesão no pênis, procure um especialista. O tratamento depende do tamanho do tumor e da extensão do comprometimento dos linfonodos inguinais (gânglios palpáveis nas virilhas).

Infelizmente, o tratamento sistêmico com quimioterapia não apresentou mudanças nas últimas décadas e a taxa de resposta a esse tratamento é abaixo do esperado.

Por isso, com o objetivo de buscar um tratamento mais eficaz para pacientes com câncer de pênis em que a doença está no nível avançado, um grupo de investigadores brasileiros da LACOG está realizando o estudo clínico HERCULES.

ilustração-medico-estudo-hercules-lacog

Faça parte do estudo HERCULES de câncer de pênis!

Caso seja paciente com câncer de pênis, preencha o formulário abaixo para receber mais informações sobre o estudo.

ilustração-medico-com-mascara-estudo-hercules-lacog

Copyright © 2021 LACOG – Latin American Cooperative Oncology Group. Todos os direitos reservados